Blog oficial das marcas – Notícias, informativos e dicas para quem é apaixonado por Scooters como nós!

Vespa nas propagandas™

A INSERÇÃO PERFEITA DO PRODUTO EM UM FILME DE 1953 MAIS DO QUE DUPLICOU A VENDA DE VESPAS, GARANTINDO O LUGAR DA SCOOTER NA HISTÓRIA CULTURAL E CINEMATOGRÁFICA.

A campanha publicitária mais bem-sucedida da Vespa surgiu como resultado da perfeita inserção do produto no longa-metragem “A Princesa e o Plebeu”. Quando Gregory Peck e Audrey Hepburn apareceram na comédia romântica juntos, montando uma Vespa de 1953 pelas ruas de Roma, as vendas da scooter mais que dobraram, garantindo assim o lugar da Vespa na história cultural e cinematográfica.

Desde esse sucesso inicial nas telas de cinema, as Vespas continuaram a aparecer em uma variedade de mídias diferentes, incluindo filmes, programas de televisão e comerciais, obras de arte musical e videoclipes. No entanto, o formato principal da publicidade da Vespa continua sendo a mídia impressa, onde seus anúncios icônicos continuam atraindo muitos novos clientes para o mundo das scooters.

A coleção Vespa nas propagandas ™ mostra exemplos da relação entre a scooter Vespa e a mídia impressa.

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

A história de um ícone: La Vespa

Somente na Itália uma motocicleta militar feia dos EUA poderia ser o catalisador que levou à criação de um ícone do estilo. Com mais de 16 milhões de scooters vendidas, a Vespa tornou-se sinônimo de estilo, liberdade e tudo o que é italiano. Somente o nome já evoca imagens de pessoas bonitas em lugares lindos, uma imagem que foi propagada por Fellini, que fez a sensual Anita Ekberg montar em uma na sua obra-prima cinematográfica “La Dolce Vita”.

A Vespa foi inspirada nas pequenas motocicletas Cushman Airborne, de cor verde-oliva, que foram lançadas de pára-quedas durante a Segunda Guerra Mundial no coração industrial italiano de Milão e Turim, para serem usadas pelas tropas na luta contra os alemães.

Duas guerras foram marcos muito importantes na linha do tempo Vespa. A fábrica fundada em Gênova em 1884 por Rinaldo Piaggio para equipar navios de luxo viu a Primeira Guerra Mundial facilitar uma mudança na sua produção, e a empresa que agora fabricava locomotivas e vagões de trem, entrou na produção de aeronaves, incluindo hidroaviões.

Em 1917, Piaggio construiu uma nova fábrica em Pisa e, quatro anos depois, assumiu outra em Pontedera para construir motores P-180 de alta tecnologia para bombardeiros. Durante a Segunda Guerra Mundial, as usinas aeronáuticas de Piaggio se tornaram alvos militares estratégicos e sofreram muitos ataques. Os ataques duraram até 31 de agosto de 1943, quando a fábrica foi reduzida a cinzas.

Com a ajuda dos Aliados, as fábricas foram reconstruídas e, lembrando a pequena motocicleta feita para paraquedistas, Enrico Piaggio atribuiu a Corradino D’Ascanio a tarefa de projetar uma motocicleta adequada para percorrer as cidades italianas danificadas pelos bombardeios.

O projetista aeronáutico, no entanto, não gostava de motocicletas, achando-as muito pesadas, difíceis de reparar e sujas. Usando sua experiência com engenharia de aviões, ele superou esses problemas para criar uma scooter que não apenas conquistaria o coração de muitos, mas que também era uma maravilha de design e praticidade.

A marcha foi movida para o guidão para facilitar o acesso; para eliminar os problemas de troca de pneus que as motocicletas tinham, ele usou suspensão de um braço, semelhante ao de aeronaves em vez da suspensão por garfo, e, usando seu conhecimento aeronáutico, fez uma carenagem capaz de absorver impacto da mesma maneira que uma aeronave faria.

A posição do assento foi projetada para oferecer segurança e conforto, enquanto o maquinário ficava escondido atrás dos para manter as roupas do motociclista em bom estado e a estrutura de passagem significava que era uma máquina ideal para as mulheres que usam saia.

Diz-se que em 1946, quando D’Ascanio mostrou o protótipo pela primeira vez, foi Enrico Piaggio que, ao ver a cintura estreita e zumbido do motor da scooter, a chamou de “Vespa”, e assim o nome ficou.

A estréia

Em 23 de abril de 1946, Piaggio solicitou uma patente no Escritório Central de Patentes do Ministério da Indústria e Comércio de Florença, descrevendo a Vespa como “uma motocicleta com um complexo racional de órgãos e elementos com corpo combinado com os guarda-lamas e capô que cobrem todos os as partes mecânicas ”.

O primeiro vislumbre da Vespa que o público viu foi na capa da popular revista italiana “La Moto” em 15 de abril de 1946 e, depois disso, foi lançada na feira de design de Milão de 1946, um ano à frente dos seus concorrentes, Lambretta. A reação à máquina levou à muitas imitações vindas do exterior; O Japão produziu o “Fuji Rabbit”, a Alemanha produziu várias scooters rivais e até a Grã-Bretanha produziu o que via como concorrente; no entanto, na verdade, nenhuma empresa rival conseguiu igualar a beleza e o charme da pequena scooter italiana.

Piaggio impulsionado pelas reações positivas à scooter entrou em produção com a Vespa 98, que vendeu bem, com a produção dos primeiros anos sendo 2.484. Isso levou ao lançamento do modelo maior de 125 cc em 1947. No segundo ano, a produção subiu para 10.353 e aumentou ainda mais em 9.500 no final de 1948. As vendas da Vespa continuaram a crescer e, em junho de 1956 , a milionésima scooter saiu da linha de produção; 1960, apenas quatro anos depois, o número aumentaria para dois milhões, abrindo caminho para a scooter entrar na história como um fenômeno único na história de viagens motorizadas do mundo.

Luz, câmera, ação!

Com sua popularidade e design inovador, não demorou muito para que a pequena e charmosa scooter começasse a aparecer em revistas elegantes sendo fotografadas ao lado de modelos usando as roupas da última moda.

Logo, somente pelo seu nome, Vespa foi associada à alta moda e imagens de homens bonitos passando pelas estreitas ruas italianas ou lindas garotas com seus cabelos ondulando atrás deles enquanto andavam pelas estradas costeiras, criando um vínculo com o estilo que permanece até hoje.

Hollywood sempre teve um caso de amor com a Vespa: no filme Roman Holiday de 1953, pode-se argumentar que a scooter também deveria ter recebido faturamento de estrelas depois de Gregory Peck e Audrey Hepburn, pois são as imagens deles andando por Roma que ajudou o filme a suportar.

Ainda hoje, ao que parece, se um filme é ambientado na Itália, ele deve ter uma Vespa em destaque: filmes recentes incluíram “The Talented Mr Ripley” e “American Graffiti”; celebridades glamourosas que foram fotografadas ao lado de uma Vespa incluem Joan Collins, Ursula Andress e Raquel Welch, Henry Fonda, Antonio Banderas, Jude Law e Gwen Stefani podem ser vistas montando uma vespa em seu vídeo pop de 2007 “Now That You Got It”.

Com exceção de “A princesa e o plebeu”, provavelmente um dos filmes mais famosos da Vespa é Quadrophenia, a ópera de rock escrita pelo “The Who” e ambientada no mundo de 1965 da cultura britânica Mod.

Fora da Itália, o segundo maior mercado para a Vespa era a Grã-Bretanha. O estilo era importante para os Mods em seus ternos afiados e parkas de cauda de peixe. Eles adotaram a scooter italiana como parte de seu visual e passaram a personalizá-la com luzes e espelhos extras adicionados à sua pequena moldura. Durante os feriados bancários dos anos 60, os resorts à beira-mar da Grã-Bretanha foram inundados por mods pilotando Vespas, alguns procurando problemas devido à vingança não escrita da cultura Rocker, mas a maioria para se divertir e se exibir em suas scooters.

A Vespa continua a vender em todo o mundo e a pequena scooter de cintura de vespa foi elevada de uma máquina simples para um conceito reconhecido internacionalmente. A imagem da Vespa agora é um grande negócio, com a empresa vendendo milhões em merchandising, desde óculos de sol a camisas e relógios de parede a calendários. A Vespa continua sendo um dos membros permanentes da realeza da indústria da moda e ainda não tem intenção de renunciar a sua coroa.

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

Stefan Rohrer distorce as Vespas e cria obra de artes divertidas

As artes com as Vespas feitas por Stefan Rohrer foram originalmente projetadas como parte do simpósio de esculturas Heidenheimer em 2013.

Podemos argumentar que a beleza das Vespas veio das ruas. O artista alemão Stefan Rohrer, no entanto, tem uma interpretação diferente sobre de onde vem a beleza das Vespas.

Nascido em 1968 em Göppingen, agora morando e trabalhando em Stuttgart, Stefan Rohrer’s cria impressionantes esculturas de carros antigos, motos ou scooters. Ele os transforma em objetos autônomos “que parecem incorporar um sequência de movimentos, materializada como se fosse um lapso de tempo, cuja história eles contam ”, Blickachsen 11

Rohrer devotou uma parte importante do seu trabalho para um ícone da sociedade de consumo, a Scooter Vespa. As suas obras de arte ficaram em exposição por vários museus da arte moderna e “arte de rua”.

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

Dublê austríaco pula de pára-quedas com a sua Vespa a mais de 4.200 metros de altura.

“Não pulo sem a minha Vespa”

O dublê austríaco Günter SCHACHERMAYR e sua Vespa PX pularam de uma porta de avião aberta a 4200 metros acima do solo.

Em queda livre, a uma velocidade superior a 300 km / h e com forças de aceleração acima de 6G, Günter conseguiu realizar vários movimentos acrobáticos em sua scooter Vespa dentro de 40 segundos de queda.

O pulo

Incapaz de obter uma permissão para o salto de um órgão do governo, Günter teve que convencer um aeródromo de propriedade privada em Spitzerberg, em Viena, a permitir que ele pulasse e pousasse lá.

Após dois anos de planejamento preciso, incluindo a saída crucial do avião, que teve que ser rápida para evitar a cauda da aeronave, Günter deixou o aeródromo de Wels, a bordo de um Cessna Caravan 208, em direção a Viena.

Atingindo uma altitude de 4200 metros, a porta do avião foi aberta e Günter em sua Vespa foram lançados para fora do avião.

Ao atingir a altitude mínima, Günter separou-se da Vespa depois de abrir o pára-quedas da scooter, seguido pelo seu próprio. Cada um deles estava equipado com seu próprio paraquedas e ambos pousaram em segurança na zona de queda.

Günter, atualmente está planejando seu próximo feito extremo de motocicleta para 2024.

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

O calendário icônico da Vespa através dos anos

A cada ano, o calendário Vespa mostrava os últimos lançamentos de scooters Vespa e, com o passar do tempo, as modelos se tornaram mulheres mais independentes e modernas.

Mencione a frase “scooter Vespa” para pessoas de uma certa idade e você evocará uma imagem em suas mentes do icônico calendário da Vespa. Desde a década de 1950, este calendário é reconhecido em todo o mundo como um exemplo de beleza impressa. Estes calendários eram especialmente famosos na Itália, onde a marca se originou, mas logo se espalharam para outros países. Isso porque apresentava ilustrações elegantes de mulheres bonitas em cenas que exibiam a scooter Vespa em vários locais e situações.

Lançado em 1951 pela agência de publicidade da Piaggio, o calendário da Vespa que apresentava garotas glamourosas em cenários da Itália pós-Segunda Guerra Mundial, foi um sucesso imediato com o público. Ele surgiu para exemplificar o espírito da Itália ao lidar com todos os tipos de entraves para se reconstruir após os horrores da guerra. O calendário mostrava não apenas mulheres bonitas, mas também inteligentes e independentes. Elas eram sempre ilustradas com uma scooter Vespa nas proximidades, e algumas das cenas mostravam as modelos como jockeys, marinheiras e aeromoças.

A cada ano, o calendário mostrava os últimos lançamentos de scooters Vespa e, com o passar do tempo, as modelos se tornaram mulheres mais independentes e modernas.

Os estilos mudaram e, a partir de 1955, o calendário começou a apresentar as modelos em situações não profissionais, mas com aparência e estilo elegantes, exatamente como as scooters com as quais eram ilustradas. O calendário se tornou muito popular e, em 1956, a empresa promoveu uma promoção na qual as pessoas podiam votar na garota mais bonita do calendário e milhões de pessoas votavam.

A cada ano, o calendário ficava mais popular, com modelos e estrelas de cinema competindo para serem incluídas. Em 1965, quase um milhão de calendários foram impressos em oito idiomas e três edições.

Em 1968, o calendário voltou a dar ênfase à garota simples e despojada da vizinhança, e as modelos foram retratadas em cenas ao ar livre, como parques e praias. A Vespa na época era promovida como o veículo mais limpo do mercado.

Ao longo dos anos, o calendário Vespa continuou sendo valorizado por colecionadores em todo o mundo.

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

Embaixador alemão ‘Vesporiza’ a sua Vespa com arte de carroceria paquistanesa

Depois que o embaixador alemão no Paquistão, Martin Kobler recebeu permissão para exportar sua scooter Vespa, ele decidiu decorá-la com arte de carroceria paquistanesa.

Martin ficou satisfeito com o visual final, dizendo: “Haa! Minha Vespa está aqui. Olhe que linda esta arte de carroceria… Vou poder rodar com ela pela primeira vez no clima agradável de primavera. A família vai gostar de andar com ela nas ruas de Berlim.”

O embaixador também personalizou o capacete: “Também recebi belos desenhos de carroceria no meu capacete junto com a vespa. Sempre use capacete ao andar de motocicleta!”

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

Vespa nos filmes™

A princesa e o plebeu foi o primeiro filme norte americano feito inteiramente na Itália estrelando aquela que se tornaria um ícone italiano, a scooter Vespa. Vespa nos filmes™ mostra obras cinematográficas que contém a scooter Vespa como adereço de cena. Em alguns filmes, a Vespa aparece no fundo em alguns segundos, como em Alfie, o sedutor. Nos filmes como Caro Diário e A princesa e o plebeu, a Vespa tem um peso de papel coadjuvante!

Na coleção Vespa nos filmes, as Vespas fazem participações em filmes de várias partes do mundo. A amostra porém é apenas uma pequena parcela. Centenas de filmes ajudaram a fazer da Vespa o adereço de cena mais reconhecível na história do cinema. Em 1953, quando a primeira vespinha de dois tempos apareceu pela primeira vez na comédia romântica A Princesa e o Plebeu, ajudou à alavancar as vendas da Vespa para além de 100.000 unidades vendidas no ano, elevando a scooter para um status de ícone.

Abaixo, tem uma pequena seleção de filmes que têm a Vespa como um importante adereço de cena. Para uma coleção maior, visite a Vespa nos filmes, no forum Ivespa.

A princesa e o Plebeu 1953
Quadrophenia 1979
Larry Crowne 2011
Caro Diário 1993

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

China – Pontedera: O grande empreendedorismo de Yu-fish a bordo de uma Vespa

A jovem blogueira viajante de 27 anos da cidade de Beijing, viajou mais de 20 mil quilômetros pela Ásia, Russia e Europa na sua Vespa GTS 300 IE. Na Itália ela fez uma parada em Pontedera, na Toscana, para visitar o museu Piaggio e a fábrica da Vespa. E então continuou em sua aventura.

Ela é Yu Jin – mais conhecida nas redes sociais como Yu Fish – uma blogueira de viagens chinesa de 27 anos, seguida por mais de 70 mil fãs: Pilotando a sua Vespa GTS 300, ela viajou aproximadamente 20.000 km pela Ásia, Rússia e Europa, a partir de Pequim.

Em 10 de abril de 2018, ela chegou a Pontedera (Pisa), na Toscana, para visitar o Museu Piaggio, recebido pela Vespa Club de Pontedera e Eugenio Leone (associação da ANCI City of Engines); depois, fez uma parada na fábrica Piaggio nas proximidades, acompanhada pelo secretário Marco da Vespa World Club, para visitar as linhas de montagem da Vespa (onde as famosas scooters foram construídas sem interrupção desde 1946) e a área de exibição de veículos da fábrica, onde Yu posou para uma foto de lembrança junto com a luxuosa Vespa 946 (RED).

Finalmente, uma rápida visita ao revendedor Busdraghi, para um check-up da Vespa, de onde ela partiu para novas aventuras.

Yu Fish (usando uma trança rosa falsa presa ao capacete, na qual ela acoplou uma câmera que filma seus passeios) é uma verdadeira fã da Vespa e muito corajosa: ela viajou por territórios inóspitos, enfrentando condições climáticas extremas.

Depois de alguns dias de folga na Itália, que ela adora (incluindo a culinária, principalmente a pizza), ela partiu novamente em sua Vespa: com destino ao norte da África, com mais paradas na Espanha, Holanda e depois na Turquia e Ásia Central, retornando a Pequim em Agosto. No final, ela percorreu mais de 44.000 quilômetros … “Se não fosse pelas minhas necessidades de parar, nunca sairia da minha Vespa” Admitiu, sorrindo.

Fã de teatro e shows de música, ela diz que está realizando seu sonho graças ao “amor da minha vida: a Vespa! Eu era funcionária de escritório, mas depois de comprar a scooter há dois anos, me demiti porque percebi que a felicidade para mim era viajar sobre duas rodas para descobrir o mundo “.

Ela se financia através de seu blog, onde narra cada quilômetro percorrido. Durante a visita à fábrica da Vespa, ela comentou: “Esses trabalhadores têm muita sorte de estar em contato com a Vespa o dia todo … é lindo demais!”. Obrigado Yu.

Informações:

www.facebook.com/yu.fish.923171

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

Novo Museu Piaggio – Vai além da Vespa e se torna o maior museu de motocicletas da Itália

O novo museu expandido da Piaggio foi aberto ao público no dia 21 de abril, com a exposição “FuturPiaggio – 6 aulas sobre a mobilidade e vida moderna italiana”. O museu também abrigará cinco coleções permanentes para contar a rica história de mais de 130 anos da Piaggio.

Após 18 anos de atividade com grande sucesso, este confirmado por seus mais de 600.000 visitantes, o Museu Piaggio foi completamente renovado e passou de 3.000 para 5.000 metros quadrados, com mais de 250 peças em exibição. O novo museu tornou-se o maior museu de motocicletas da Itália e um dos maiores da Europa.

O museu Piaggio percorre toda a história do transporte: navios, trens, aviões, carros, scooters e motocicletas que nasceram da matriz de suas marcas. O Grupo Piaggio possui as marcas Piaggio, Vespa, Moto Guzzi, Aprilia, Gilera, Derbi e Ape.

Para mais informações, entre em contato com o Museu Piaggio

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil

O que você deve saber antes de comprar a sua primeira scooter Vespa

Como ter certeza de que você está comprando a scooter Vespa certa?

Quando o assunto é a primeira compra de uma Scooter Vespa, a grande quantidade de opções disponíveis pode surpreender os não iniciados. Nova, semi-nova, vintage, moderna, manual, automática, pequeno porte, grande porte – existem várias opções por aí, e várias pessoas acabam tomando decisões erradas.

No entanto, se você se educar e considerar os fatores certos para a sua decisão, você vai acabar gastando menos dinheiro de gasolina, ter um melhor custo-benefício, e se sentir muito mais livre na estrada graças à natureza de liberdade da Vespa. Seus benefícios ainda vêm com menores taxas de seguros, estacionamento mais barato, e um uso prático melhor do que o de motocicletas tradicionais – Ainda mais, você pode escapar do trânsito!

Então, como evitar tomar decisões equivocadas? Como ter certeza de que você está comprando a scooter Vespa certa? Neste guia, vamos tentar identificar algumas das escolhas mais comuns que motoqueiros precisam fazer quando decidem comprar uma scooter Vespa, para que você escolha aquela Vespa que seja perfeita para você! Abaixo segue alguns pontos chave do que você precisa saber antes de escolher a sua primeira Vespa!

Nova, semi-nova, ou Vintage clássica?

Vespas clássicas ou vintage

As condições da sua Vespa serão determinantes sobre o seu prazer e praticidade em dirigi-la, assim como o tempo e dedicação que você deverá empreender para a sua manutenção, então este é um ponto importante para começar a discussão. Uma vespa Vintage pode ser linda esteticamente, e se tem uma boa manutenção, ela pode adquirir mais valor no mercado. Mas ter uma vespa vintage pode vir com alguns problemas. As partes mecânicas da Vespa necessitariam de cuidados regulares, então a opção vintage se enquadraria melhor para condutores que têm costume de reparar e fazer manutenções em scooters.

Se você conversar com apaixonados por Vespa, muitos vão recomendar que você se envolva com modelos antigos e vintage, mas você precisa lembrar que scooters Vespa antigas requerem que você seja tanto um condutor quanto um mecânico. Se você quer ter uma vespa vintage, a melhor saída é se manter em uma escolha balanceada, como por exemplo, escolher uma Vespa moderna “retrô” como as PX. Elas mantém a estética das antigas queridinhas dos dias dourados das scooters, mantendo a marcha manual. Mas conduz como uma scooter moderna.

Scooters Vespa antigas requerem uma mistura de gasolina com óleo, que precisam ser colocados a cada abastecimento.

Comprando uma Vespa nova

Uma Vespa moderna nova vêm com algumas vantagens, como a garantia, tecnologia atualizada e transmissão automática, que faz a condução ser mais fácil. Como você será o primeiro dono, você também não precisa se preocupar com surpresas desagradáveis, como por exemplo, uma manutenção prévia mal executada.

Semi-nova

O principal entrave de comprar uma Vespa nova é o custo inicial da sua compra, então uma opção mais barata que pode te deixar satisfeito seria comprar uma Vespa moderna semi-nova ou usada. Elas geralmente vêm em preços mais justos, têm os vários benefícios de uma Vespa moderna, e são geralmente vendidas sem grandes problemas mecânicos. Algumas podem incluir garantia, então é sempre bom perguntar ao vendedor no momento da compra.

Uma vespa moderna usada ou nova são as melhores escolhas para o uso no dia a dia, por precisarem de menos manutenção. Escolhendo uma Vespa vintage, manutenções podem ser frequentes e até mesmo semanais. Se suas finanças permitirem, a escolha mais segura é comprar uma Vespa nova.


Vespa PX150

Manual ou automática?

Amantes da scooter vão sentir falta do “click” da embreagem manual das Vespas antigas, mas se você é novo na cena, nostalgia provavelmente não é uma prioridade para você. Tenha isso em mente antes de ouvir dicas de velhos apaixonados pela scooter, pois nostalgia pode muitas vezes obscurecer a lógica!

O guidão de uma transmissão automática Vespa imita o de uma bicicleta, com duas alavancas de freio. O condutor acelera e fica sem a necessidade de trocar as marchas manualmente. Em uma scooter de transmissão manual, como na maioria das motocicletas, a alavanca do freio esquerdo é a embreagem e o pedal do freio traseiro está localizado no painel do piso. A mudança manual das marchas adiciona um elemento extra para o piloto lidar e, para o iniciante, pode facilmente levar a distrações.

Para os condutores que preferem ter controle sobre as trocas de marcha, existem Vespas modernas que mantêm a troca manual, como as Vespa PX, mas para o passageiro comum ou um novo condutor, uma transmissão automática pode ser uma escolha melhor. Depende inteiramente de suas preferências pessoais. Contudo, se possível, experimente os dois tipos de marcha para um teste antes de tomar sua decisão sobre transmissão manual ou automática.

Grande porte ou pequeno porte?

Sua próxima escolha é se você prefere optar por uma scooter grande e impressionante ou por uma máquina um pouco mais fácil de controlar. Novamente, isso depende principalmente da preferência pessoal, além do uso que você quer dar para a scooter e o quanto sua escolha vai pesar em sua carteira.

Vespas de pequeno porte

Se você não possui a carteira de condução necessária ou apenas deseja ter uma máquina simples para se deslocar e desfrutar de uma viagem fácil pela cidade, considere optar por uma scooter de 50 cc (49cc). As Vespas de 50 cc não exigem uma licença especial na maioria das áreas, e você irá percorrer a cidade de maneira agradável e fácil com 45 km / h como velocidade máxima. A Vespa 125 cc de pequeno porte, mas poderosa, permitirá que você pilote a scooter na estrada, já que a maioria dos regulamentos de transporte restringirá tamanhos menores de motor a estradas com limites de velocidade acima de 80 km / h. Como comprador de Vespa pela primeira vez, pode ser uma boa ideia entender os conceitos básicos de dirigir uma scooter de pequeno porte primeiro e depois atualizar para um modelo de grande porte quando estiver pronto.

Vespas de pequeno porte

As scooters Vespa são tipicamente menores do que as motos comuns, mas são mais poderosas do que você imagina. As scooters Vespa de grande porte podem ir de 125 cc Vintage à 250 – 300 cc modernas, por isso podem ter um desempenho surpreendente. Obviamente, quanto mais potente for seu motor, maior será sua velocidade máxima. A velocidade máxima para um Vespa 300 é bem superior a 70 km / h e proporciona uma velocidade de cruzeiro confortável em torno de 80 km / h – bastante o suficiente para a maioria dos passeios.


As scooters Vespa são tipicamente menores do que as motos comuns, mas são mais poderosas do que você imagina.

Onde não comprar?

Uma coisa importante a ser observada é que, se você optar por uma scooter Vespa moderna ou clássica, usada moderna ou antiga, é essencial que você pense muito sobre onde comprar. Muitas pessoas decidem entrar online para comprar uma scooter usada e ficam muito empolgadas quando encontram ótimas promoções – apenas para descobrir que, quando chega, há uma falha grave que elas teriam notado se tivessem verificado a scooter pessoalmente antes. Nada vem de graça neste mundo, e se parece bom demais para ser verdade, então provavelmente não é verdade.

Conclusão

Como você pode observar, há muito o que considerar antes de comprar uma scooter Vespa. Felizmente, este guia deve ter ajudado você a aprender um pouco mais sobre todas essas opções e agora ter uma ideia melhor sobre que tipo de scooter você deve optar. No entanto, se você não tiver certeza do que pode precisar ou tiver alguma dúvida adicional, sua loja ou clube local de scooters poderá ajudá-lo – basta entrar em contato com eles ou entrar para vê-los, e eles devem ser capazes de esclarecer as coisas. Lembre-se, porém, se algo é super barato, geralmente há uma boa razão para isso.

Boa sorte ao comprar sua primeira scooter Vespa e, o mais importante, divirta-se em seu novo passeio!

Reposted by: Celivaldo Lira
Diretor operacional da Scooter Boutique no Brasil